one: Home two: ask three: link3 four: link4
O que fazer, quando não estão mais nem aí para você? Quando o seu mundo não passar de uma prisão? E o que dizer, quando sua vida não é igual a da TV? Quando as pessoas tratam mal seu coração? E como agir, se mãos amigas se transformam em punhais? E todos acham que você não é capaz. E o que sentir, quando até mesmo você chega a duvidas, que ainda existe alguma chance de virar o jogo pra você? Não vou deixar desmoronar castelos que eu construí com minhas mãos na areia. A vida tem de prosseguir.
Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado. Às vezes nos falta esperança, mas alguém aparece para nos confortar. Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa. Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar, é nossa razão de existir. Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino. Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa. Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um por do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto, é a força da natureza nos chamando para a vida.
Fernando Veríssimo.  (via delator)
Tenho um lado bem bobo que ainda acredita na bondade das pessoas. Só que a vida me trouxe um lado que desconfia, ergue a sobrancelha e fica com o pé atrás.
Clarissa Corrêa.   (via d-espreparado)

desfechos:

Mergulhos profundos em pessoas rasas.

Não vire a página se o que você ama está escrito lá.
Meu nome é saudade.  (via desfechos)
Sociedade: você gosta de viver?
Eu: sim.
Sociedade: não deveria. Você é feia.
Eu: Mas eu quero viver.
Sociedade: você é gorda.
Eu: eu sei, mas eu gosto de..
Sociedade: ninguém gosta de você.
Eu: eu sei, mas..
Sociedade: todos te excluem. Não percebe que é estranha?
Eu: mas eu quero mais uma chance.
Sociedade: você não merece viver.
Eu: eu sei.
Sociedade: o que? Você se cortou? É só para chamar atenção.
Sociedade: parou de comer? Tá precisando mesmo.
Sociedade: pra que esses remédios?
Sociedade: o que é isso?
Sociedade: pra que essa corda?
Sociedade: você vai se matar?
Sociedade: garota, cadê você?
Sociedade: para onde ela foi?
Sociedade: ela se matou? Mas por que? Ela era tão jovem, bonita, tinha o mundo inteiro para ela. Ela não deveria ter feito isso. Maldita sociedade.
Ser frio é ruim? E a solidão dói? Hoje não mais. Doía quando eu era ingênuo o suficiente pra pensar que o amor é mágico, que todas as pessoas são boas. Que tudo é lindo e colorido como as borboletas que parecem sair do seu estômago quando se está apaixonado. Você vê casais sorrindo, saindo pra jantar, pra ir ao cinema… e tudo o que vem em sua mente é “um dia serei eu”. Mas ai, você cresce, se apaixona, se machuca e percebe que nem tudo valeu a pena. Que as pessoas não são o que elas demonstram, e que elas vão lhe magoar sempre. Que um mundo perfeito é ilusão, e que na verdade, não eram borboletas que saiam de você, e sim o medo de pisar na bola. Você vê que o amor verdadeiro é o amor próprio, e que depois de um tempo, a melhor companhia é a própria. Você age por você mesmo, ama por você mesmo, faz planos por você mesmo, luta por você mesmo, e no fim, isso é o que vale a pena.
Gabriel Silva.  (via delator)
Eu costumava pensar que a pior sensação do mundo é perder alguém que ama, mas eu estava errada. O pior sentimento é o momento em que você percebe que você se perdeu.
The Vampire Diaries.     (via delator)
install theme